avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados.
Ludo
Banhado pela Ria Formosa, o Ludo é um local de
concentração de aves aquáticas, pelas características
dos seus habitats. Aqui, estamos na presença de
zonas de salinas, áreas lacustres, sapal e caniçal.
Embora possa ser percorrido com recurso a veículos,
é preferível usar uma bicicleta ou percorrer o Ludo a
pé.
Parte sul
A parte sul da Quinta do Ludo confina com a Ria Formosa, propriamente dita, mais
precisamente junto ao Esteiro do Ancão. Esta zona pode ser visitada percorrendo o
trilho que começa junto à extremidade ocidental do aeroporto. Ao longo do
percurso podem ver-se diversas espécies de aves aquáticas, nomeadamente o
flamingo, a garça-branca-pequena, o galeirão-comum e várias espécies de limícolas.
No que concerne aos passeriformes, as espécies mais frequentes são: a
cotovia-de-poupa, a alvéola-amarela, a fuinha-dos-juncos e a
toutinegra-de-cabeça-preta.
Melhor época: Todo o ano. A avifauna presente neste local vai variando ao longo
do ano, sendo este sítio importante para espécies invernantes, estivais e
migradoras de passagem.

Distrito: Faro
Concelho: Loulé
Onde fica: Para aceder ao Ludo a partir de Faro, basta seguir as indicações para o
aeroporto de Faro, a partir da N125, e virar em direcção ao Pontal-Gambelas. Para
visitar a parte sul, deve tomar-se a estrada que contorna o aeroporto de Faro, e
que conduz à Praia de Faro, parando junto ao topo ocidental do aeroporto.


Caso pretenda conhecer outros locais para observar aves nesta região, sugerimos:
Visita:

Parte norte
Começando pela zona de Gambelas/Pontal, perto do Aeroporto de Faro, podem ser
visitadas as zonas de pinhal que antecedem a
Quinta do Ludo, e onde se podem
observar as comuns
pegas-azuis, o chapim-real, o pica-pau-verde e o noitibó-de-
nuca-vermelha. Quando finda a zona de pinhal, encontra-se um caniçal
relativamente bem conservado, e onde ocorrem o
rouxinol-pequeno-dos-caniços, o
rouxinol-grande-dos-caniços, a galinha-d’água e o frango-d’água. Aqui, abrem-se
as áreas de salinas e tanques onde se concentram a maior parte das límicolas, como
é o caso do
alfaiate, o pernilongo, a seixoeira e o perna-verde-comum. Neste locais,
criam a
andorinha-do-mar-anã e o borrelho-de-coleira-interrompida.

A bordear a zona de salinas encontramos a
Ribeira de São Lourenço, onde no
Inverno se podem encontrar algumas das maiores concentrações de
piadeiras e
patos-trombeteiros do nosso território. Ocorrem também o mergulhão-de-crista, a
frisada, o zarro-negrinha, o zarro-comum, o marreco e a marrequinha.

Também é frequente haver bandos de
galeirões-comuns e por vezes observa-se o
caimão. Nas margens da ribeira, existem árvores de grande porte, que são poiso
habitual do
corvo-marinho-de-faces-brancas, da cegonha-branca, da águia-
pesqueira e do milhafre-preto. Na vegetação das margens, é habitual o colhereiro,
que também nidifica na região.

Continuando por este percurso para oeste chega-se até à
Quinta do Lago.
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites
A Ribeira de São Lourenço, onde no Inverno se podem por vezes
encontrar grandes concentrações de
piadeiras e patos-trombeteiros.
Na parte sul da Quinta do Ludo, junto ao esteiro do Ancão, é possível observar diversas espécies de
limícolas.